O que as 54 leis do fracasso podem dizer a seu respeito

Conheça as principais causas do fracasso e melhore as suas chances de obter sucesso na sua vida pessoal e profissional, segundo Napoleon Hill.

54-leis-do-fracasso-napoleon-hill

Caro leitor, você sabia que existe uma “ciência” por de trás do sucesso? E que milhares de pessoas nesse exato momento estão melhorando os seus rendimentos e as suas relações interpessoais aplicando tais conhecimentos? Apesar de fugir um pouco da temática do blog, esse artigo não irá se limitar à indicação de um curso online grátis, mas sim, recomendar a mudança de certos comportamentos para que você possa melhorar as suas chances de sucesso. Já que a educação é a chave do sucesso, nada mais justo do que falar um pouco mais sobre esse assunto por aqui.

Como surgiu as 54 leis do fracasso?

No livro  – Você pode fazer os seus milagres – Napoleon Hill elucida de forma objetiva as 54 principais causas do fracasso (comportamentos).  Para quem não conhece, Napoleon Hill foi um renomado escritor americano, nascido no estado da Virgínia em 26/10/1883.  Os seus livros já venderam mais de 100 milhões de cópias ao redor do mundo, tornando-o uma das pessoas mais influentes da atualidade.

napoleon-hill

Em 1908 Napoleon Hill teve a oportunidade de conhecer e entrevistar um dos homens mais ricos da época, o famoso industrial Andrew Carnegie.

Naquela ocasião Andrew Carnegie já com 73 anos, expôs a Napoleon Hill a sua crença de que a riqueza era fruto de um conjunto de virtudes que, se adotadas por uma determinada pessoa, ela teria êxito em qualquer negócio. O próprio Andrew Carnegie atribuía o seu sucesso a essas virtudes, por isso criou-se uma espécie de fórmula para o sucesso, no qual Napoleon Hill estudou e divulgou por décadas.

Se você quiser saber um pouco mais a respeito da vida de Napoleon Hill, e como ele chegou a tais conclusões, clique aqui.

Bom, agora que você já conhece um pouco mais a respeito do autor das leis, vamos ao que interessa 🙂

54 LEIS DO FRACASSO DE NAPOLEON HILL:

  1. O hábito de mudar de ideia conforme as circunstâncias sem objetivos ou metas definidas.
  2. Condições físicas congênitas desfavoráveis.
  3. Curiosidade e intromissão em relação às atividades alheias.
  4. Falta de um objetivo principal na vida.
  5. Falta de instrução.
  6. Falta de autodisciplina geralmente manifestada através de excessos alimentares, excesso de bebida, indulgência sexual e indiferença pelas oportunidades de progresso.
  7. Falta de ambição para almejar sair da mediocridade.
  8. Falta de saúde, geralmente devida a pensamentos negativos, alimentação imprópria e falta de exercícios. (Tenha em mente no entanto que algumas pessoas, tais como Helen Keller, prestaram grandes serviços à humanidade apesar de males físicos incuráveis.)
  9. Influências desfavoráveis do meio ambiente durantea infância. Diz-se que as qualidades fundamentais do indivíduo estão formadas quando ele atinge os sete anos de idade.
  10. Falta de persistência para levar a cabo aquilo que foi iniciado.
  11. Uma atitude mental negativa como hábito.
  12. Falta de controle sobre as emoções do coração.
  13. Desejar algo a troco de nada, tal como jogar a dinheiro.
  14. Incapacidade de tomar decisões pronta e definitivamente e de mantê-las após serem tomadas.
  15. Um ou mais dos sete medos básicos. (a saber: Medo da Pobreza, Medo da Crítica, Medo da Doença e da Dor Física, Medo da Perda do Amor, Medo da Perda da Liberdade, Medo da Velhice, Medo da Morte)
  16. Má escolha do cônjuge.
  17. Cautela exagerada nos negócios e relacionamentos profissionais.
  18. Falta de precaução sob todos os aspectos.
  19. Má escolha de sócios nos negócios e relacionamentos profissionais.
  20. Má escolha de vocação ou ausência total de escolha.
  21. Falta de concentração de esforços na execução de uma determinada tarefa.
  22. Hábito de gastar dinheiro indiscriminadamente sem um controle de orçamento entre ganhos e gastos.
  23. Incapacidade de organizar e fazer bom uso do TEMPO.
  24. Falta de entusiasmo controlado.
  25. Intolerância -uma mente fechada baseada particularmente na ignorância ou no preconceito em relação a assuntos políticos, religiosos e econômicos.
  26. Incapacidade de cooperar com os outros com espírito de harmonia.
  27. A posse de riquezas ou poder não baseados no mérito.
  28. Falta de espírito de lealdade para com aqueles que o merecem.
  29. Egoísmo e vaidade descontrolados.
  30. Hábito de formar opiniões e fazer planos sem conhecer os fatos envolvidos.
  31. Falta de visão e de imaginação suficientes para reconhecer oportunidades favoráveis.
  32. Falta de disposição para ir um pouco além em um determinado trabalho.
  33. Desejo de vingança por prejuízos reais ou imaginários causados por alguém.
  34. O hábito de conversar em termos profanos ou vulgares.
  35. O hábito de fazer fofocas negativas sobre a vida de outras pessoas.
  36. Atitude anti-social para com as autoridades do governo.
  37. Descrença na existência da Inteligência Infinita. (Não é “Deus” como concebemos a partir de religiões)
  38. Não saber como orar de modo a conseguir resultados positivos.
  39. Incapacidade de beneficiar-se pelos conselhos de pessoas mais experientes.
  40. Descuido no pagamento de débitos pessoais.
  41. O hábito de mentir ou modificar a verdade indevidamente.
  42. O hábito de fazer críticas sem ser chamado.
  43. O hábito de endividar-se exageradamente.
  44. Ganância por bens materiais de não se necessita.
  45. Falta de autoconfiança na proporção adequada para a conquista dos objetivos escolhidos.
  46. Alcoolismo ou drogas.
  47. Exagero no fumo, especialmente o hábito de fumar um cigarro após o outro.
  48. O hábito (do leigo) de ser seu próprio advogado em relação a contratos e assuntos legais.
  49. O hábito de endossar notas promissórias de terceiros quando o risco não se justifica.
  50. O hábito de procrastinação – deixando para amanhã o que deveria ter sido feito anteontem.
  51. O hábito de fugir das situações desagradáveis em vez de enfrentá-las.
  52. O hábito de falar demais e escutar pouco. Não se aprende nada falando, mas sempre se aprende quando se escuta quando os outros falam.
  53. O hábito de aceitar favores sem oferecer nada em troca.
  54. Desonestidade intencional nos negócios e relacionamentos profissionais.

Bom, é isso, espero que esse artigo possa lhe ajudar da mesma forma que me ajudou a vencer certos comportamentos “limitantes”.

Quer saber mais sobre as virtudes das pessoas de sucesso? Leia também:

Blog Cursos Grátis




1 Comentário Comente!

  • Interessante …

Deixe seu comentário!